PROJETO REFORÇA AÇÕES DE COMBATE AO CÂNCER BUCAL NO MARANHÃO

A demora do diagnóstico do câncer de boca é um dos principais fatores de risco que agrava a doença. Com o diagnóstico precoce aliado ao tratamento adequado, as chances de cura são bem maiores. O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), adota medidas preventivas de combate ao câncer bucal na Unidade de Especialidades Odontológicas do Maranhão, o Sorrir.

O Departamento de Atenção à Saúde Bucal da SES estabeleceu desde 2015 dois eixos de ação focados na detecção precoce do câncer bucal. Organização da rede de saúde bucal com a definição de fluxos para o encaminhamento do usuário a uma unidade referenciada e diálogos com gestores municipais e profissionais de saúde para sensibilização do diagnóstico e direcionamento correto do paciente. O Sorrir é referência para diagnóstico precoce de câncer bucal.

O chefe do Departamento de Atenção à Saúde Bucal da SES, Allan Patrício, destacou que a rapidez na orientação odontológica é capaz de reduzir o avanço da doença. “O câncer bucal é uma doença silenciosa e muitas vezes de difícil percepção dos sintomas por parte do paciente, que busca tardiamente ajuda médica. Por isso, fazemos um trabalho de conscientização nas unidades de saúde com conversas de caráter preventivo nos consultórios odontológicos junto ao rastreamento bucal. Após este processo, se for identificada a doença, este paciente é encaminhado ao Sorrir para fazer uma consulta com o estomatologista, dentista especialista em câncer bucal”, explicou Allan.

A Unidade de Especialidades Odontológicas do Maranhão (Sorrir), inaugurada em 28 de fevereiro deste ano, recebe pacientes encaminhados do Sistema Único de Saúde (SUS) residentes do Maranhão que passaram por uma consulta da Equipe de Saúde Bucal (ESB) das UBS espalhadas pelo estado. No Sorrir, o paciente com suspeita de câncer bucal é recebido pelo estomatologista que é o profissional capacitado para o diagnóstico da doença. Se for positiva a existência do câncer maligno, o paciente é direcionado para cirurgia no Hospital de Câncer do Maranhão, unidade estadual referência em tratamento e cirurgias oncológicas.

Diêgo Souza, estomatologista do Sorrir, afirma que de março a outubro foram confirmados oito casos de câncer bucal. “A unidade recebe muito paciente do interior que na maior parte dos casos nunca teve acesso a uma consulta odontológica. Quando avalio este paciente o avanço da doença está sério. Se o câncer for maligno e já estiver comprometido estruturas da mandíbula, face e boca, ele é encaminhado para o Hospital de Câncer do Maranhão. Caso contrário, fazemos aqui a remoção da parte afetada e iniciamos o tratamento local”, frisou.

Atendimentos no Sorrir

A Unidade contabiliza 76.097 atendimentos no período de março a outubro deste ano, com 15.963 consultas, 36.335 procedimentos, 10.063 atendimentos de urgência e 28 biópsias realizadas. Neste tempo, oito casos de câncer bucal foram detectados e encaminhados ao Hospital de Câncer do Maranhão para procedimento cirúrgico.

O diretor administrativo do Sorrir, Fabrício Saraiva, ressalta que a chegada do equipamento de saúde sanou uma carência odontológica de anos da população maranhenses. “Aqui é atendido paciente de todo o Maranhão que nunca teve a oportunidade de sentar na cadeira do dentista. Ele tem acesso a todo serviço desde uma limpeza a colocação de implantes ou aparelhos ortodônticos. O governo estadual permitiu a chance de todos terem acesso a este serviço básico de saúde”, esclareceu.

A unidade funciona ao lado da Farmácia Estadual de Medicamentos Especializados (Feme), em frente ao Terminal de Integração da Praia Grande, de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, e aos sábados, das 8h às 12h.  Além da implantodontia, a unidade dispõe também de serviços de endodontia, prótese dentária, estomatologia, dentística, odontopediatria, bucomaxilo, periodontia e ortodontia. Já no Serviço de Apoio Diagnóstico e Terapêutico (SADT), conta com radiologia panorâmica (digitalizada), radiologia, exames laboratoriais e radiologia periapical.

Diagnóstico

A estudante Tatiele Sousa logo após a primeira gestação sentiu o incomodo de um cisto na boca, no lado esquerdo. Soube pela vizinha do Sorrir no mês de junho, mas não buscou tratamento de forma imediata. O cisto aumentou de tamanho causando dor e vergonha social. “Não procurei logo o dentista, comecei a me alimentar ruim e ter receio de sair na rua para ninguém me olhar. Espero que não seja tarde demais para recuperar minha saúde bucal”, disse a estudante.

O estomatologista Diêgo Souza explicou que o procedimento feito em Tatiele foi clínico e é preciso aguardar o resultado da biópsia para avaliar os próximos passos do tratamento. “Fizemos a primeira parte do processo que foi a cirurgia de retirada do cisto devolvendo dignidade a ela para que possa se alimentar corretamente e ter a vida social de volta. Agora é aguardar a chegada do exame”, explicou.

Semana Nacional de Prevenção do Câncer Bucal

De 5 a 9 de novembro acontece a Semana Nacional de Prevenção do Câncer Bucal no país. O período, previsto na Lei nº 13.230/2015, é realizado sempre na primeira semana de novembro. O foco do evento é estimular junto aos gestores e à população, ações preventivas, campanhas educativas, debater políticas públicas, apoiar atividades organizadas e desenvolvidas pela sociedade civil, dentre outros.

Como evitar câncer bucal

Os fatores de risco para o câncer de boca são evitáveis e incluem especialmente superar o hábito de fumar e o consumo de bebidas alcoólicas. A exposição crônica à radiação solar também se constitui em um importante fator de risco para o câncer de lábio inferior.

Atitudes como abstenção de fumo e bebidas alcoólicas, dieta rica em alimentos saudáveis e boa higiene oral diminuem as chances de desenvolver a maioria das doenças malignas, inclusive os tumores na boca, que são os mais comuns tipos de câncer de cabeça e pescoço no Brasil.

Deixe uma resposta