MULHER QUE JOGOU O FILHO BEBÊ DA PONTE DO SÃO FRANCISCO ALEGA SOFRER DISTÚRBIOS MENTAIS

Uma bebê de apenas sete meses foi atirada neste domingo (18) da ponte São Francisco pela própria mãe. O movimento da maré era fraco e a criança caiu na parte rasa. Dois militares que estavam civis (só de bermudas) desceram imediatamente ao ponto de salvar a bebê e levá-la a um hospital, onde chegou, foi atendida, e salva. Um milagre de Deus! Os guerreiros, que merecem medalhas, são os soldados Heberth e Pestana, do Batalhão Tiradentes, que enfrentaram a lama.  Veja abaixo a foto da criança no hospital.

A mãe cruel (foto abaixo), que teria 19 anos,  de identidade e endereço ainda desconhecidos, foi presa imediatamente pelos militares e levada para o plantão das Cajazeiras

Na delegacia, ela disse que a criança era fruto de um estupro, mas nada que a impedisse de fazer uma doação ou até mesmo um aborto logo no início da gravidez, o que é permitido por lei. Pior mesmo foi jogar uma vida de apenas sete meses de uma altura capaz de matar até um adulto.

A mãe já identificada como sendo Carla Regina Mendes (foto abaixo), encontra-se recolhida no Presídio Feminino de Pedrinhas e deve passar por uma série de exames por todo dia de hoje para constatar se sofre mesmo de desequilíbrio mental. Ela alegou durante depoimento que toma remédios controlados. Os parentes dela confirmam que por três vezes já foi internada na Clínica São Francisco, próximo do Socorrão II.

Deixe uma resposta