IRMÃO DE LUCIANO GENÉSIO É DETIDO POR AGRESSÃO A MULHER EM PINHEIRO

Luciano Genésio abraçado a Lucio AndréA Polícia Militar de Pinheiro foi acionada na madrugada deste sábado (09) para efetuar a prisão de Lúcio André Silva, irmão do eterno suplente de deputado Luciano Genésio, por suspeitas de bater na companheira, Ludmila Rosa Ribeiro, que está grávida de alguns meses.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, Ludmila compareceu ao Quartel da PM afirmando ter sido agredida pelo irmão do pré-candidato a prefeito, conhecido por promover arruaças, dar tiros para o alto e dirigir alcoolizado pelas ruas de Pinheiro.

Informada da ocorrência, uma guarnição da polícia se deslocou até a residência dos Genésio e conduziu o agressor até a delegacia. Depois de algumas horas no xilindró, Lúcio pagou fiança e foi solto.

A Polícia Civil deve instaurar inquérito para investigar as circunstâncias das agressões. O irmão de Luciano Genésio responderá ao processo em liberdade, podendo ser enquadrado na Lei Maria da Penha.

Não é de hoje que o clã Genésio é acusado de promover arruaças em Pinheiro.

AqGk_hEOJzovKIUO90Dx-ULASMlugG617dhJMiJN6R89 (1)

Boletim de ocorrência registrado pela companheira de Lúcio Genésio na Delegacia de Pinheiro.

À época em que esteve à frente da Prefeitura de Pinheiro, entre 1998 e 2001, o ex-deputado Zé Genésio — famoso pelos discursos etílicos nos palanques eleitorais e pelos aviões repletos de “moças” sobrevoando o município — desferiu vários tiros na porta do seu vice-prefeito, o médico Aquiles Ribeiro, que rompera com ele por conta de denúncias de corrupção, atrasos dos pagamentos dos servidores, entre outros desmandos.

Na ocasião, a polícia ainda tentou prender Zé Genésio em flagrante, mas ele ficou escondido por vários dias em um sitio de sua propriedade, na zona rural do município.

O patriarca dos Genésio acabou cassado pela Câmara de Vereadores poucos meses antes do fim do mandato, e o desastre político de sua gestão fortaleceu o discurso para a eleição do atual prefeito, Filuca Mendes, afilhado do oligarca José Sarney.

Deixe uma resposta