A COISA ESTÁ MUDANDO!! APÓS VÁRIAS COBRANÇAS DO GOVERNO DO ESTADO, FORUM DA BAIXADA E DEPUTADOS, FERRY BOAT’s COMEÇAM A OFERECER MELHORES SERVIÇOS

Usuarios do Ferry Boat já começam a sentir as melhorias nos serviços prestados pelas empresas que oferecem esse tipo de transporte na travessia Ponta da Espera/Cujupe/Ponta da espera.
Assim que assumiu o goverrno do estado Flávio Dino cobrou das autoridades portuarias que cuidam dos Ferry Boats uma series de melhorias no oferecimento de dezenas de serviços que eram reclamações diarias de quem usava o Ferry Boat para chegar até São Luis ou a região da baixada maranhense. 
Uma das principais questões que foi amplamente discutida no âmbito legislativo é a quebra do monopólio Servi Porto/Internacional Marítima, além dos principais problemas enfrentados pelos passageiros que utilizam diariamente o Ferry Boat, que são os seguintes: venda de passagens acima da capacidade das embarcações; péssimas
condições estruturais dos portos; falta de higiene nas embarcações e nos
portos; falta de serviço de telefonia móvel em Cujupe; longas filas de
espera; impontualidade dos horários de partida e chegada; venda de
passagens apenas em espécie e sem aceitar cartões de débito e de
crédito, falta de acessibilidade para cadeirantes e deficientes físicos e
ausência de meia-passagem para estudantes.
Só pra refrescar a mente, no dia 27 de abril o 1º vice-presidente da Assembleia
Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), recebeu, na Sala de
Reuniões da Presidência, o secretário da Fazenda do Maranhão, Marcellus
Ribeiro Alves, e o presidente da Agência Estadual de Mobilidade Urbana
(MOB), José Arthur Cabral.
O assunto tratado foi um outro aspecto
que é mais escandaloso ainda na questão do transporte de ferry-boat
no Maranhão: a isenção de impostos estaduais e municipais para a
Internacional Marítima e a Serv Porto.
Othelino Neto assegurou ter pedido ao
governo para a analisar a possibilidade de acabar com tamanho privilégio
às duas empresas, que são boas de arrecadar milhões em dinheiro vivo,
mas péssimas em retribuir estes milhões em forma de bons serviços aos
usuários.
“Pedi ao governo que
fizéssemos uma discussão para que possamos analisar a possibilidade de
dar um basta a esses benefícios. Percebemos que o Estado tem um amplo
programa de recuperação tributária, então, por que não atacar essa
concessão que é injusta e indevida para duas empresas que têm lucros
excessivos e prestam péssimo serviço à população?
– questionou o deputado.
O próprio governador Flávio Dino admitiu, via redes sociais, que um
processo de licitação é a saída para que as mudanças também cheguem à
baía de São Marcos, e já determinou que Agência Estadual de Mobilidade
Urbana elabore o termo de referência para que o processo licitatório
tenha início nos próximos meses.
E agora após todos esses debates já podemos perceber claramente as mudanças sugeridas nos fóruns e principalmente na cobrança do deputado Othelino Neto na Assembleia legislativa. Talvez o medo de perder a mamata tenha alertado os empresários, que passaram a ter outras atitudes em relação aos serviços prestados nos ferrys, onde os usuários já percebem ainda que minimamente, as mudanças alcançadas pelo peso da mão do estado.
O povo da baixada que por décadas foi humilhado usando esse serviço, que diga-se de passagem, era pessimamente oferecido ao cidadão, acredita que agora, com a força e as cobranças oriundas de várias vertentes políticas do nosso estado, possamos ter um serviço no mínimo de respeito ao cidadão, que se utilizam diariamente dos ferrys para chegar em suas casas.
A Baixada merece muito mais!!

Deixe uma resposta