URE – PINHEIRO REALIZA A I FEIRA INTERCULTURAL, “JUVENTUDE E CULTURA” UMA AÇÃO DO PACTO PELO FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO

A
cidade de Mirinzal sediou,  no último dia 13, a I Feira
Intercultural de municípios do Litoral Norte Oriental, incluindo os
municípios de Guimarães, Cedral, Central, Cururupu, Guimarães, Porto
Rico e Mirinzal. A seguir, o Blog do Professor Sandro Lima
transcreve texto da
professora Elcimar Silva Amorim, dos quadros da Unidade Regional de
Pinheiro:

O PACTO EM AÇÃO NA URE DE PINHEIRO-MA
I Feira Intercultural: Juventude e Cultura: relevando os valores culturais do Litoral Ocidental Maranhense
O
Programa Nacional de Fortalecimento do Ensino Médio está de fato
impactando nossas escolas, nossos educadores, nossos alunos, nossa
comunidade! Um dos grandes exemplos, desse impacto, foi a realização da I Feira Intercultural: “Juventude e Cultura: relevando os valores culturais do Litoral Ocidental Maranhense”,
que aconteceu no dia 13 de junho de 2015, no município de Mirinzal-MA. A
Feira Intercultural foi uma das atividades de um projeto, idealizado
por Antonio Rodrigues de Almeida Filho, Orientador de Estudos do PACTO,
 da escola CE Pedro Neiva de Santana, em Cedral. O
projeto surgiu a partir da percepção de que a cultura local sofre
tantas transformações, que às vezes torna-se totalmente
descaracterizada, e o jovem sequer tem acesso e conhecimento das
tradições culturais em sua originalidade. E, partindo da premissa de que
a cultura pode sim evoluir, sem, entretanto, deixar de ser preservada e
valorizada a partir de sua origem, o principal objetivo  do projeto foi proporcionar a formação sociocultural de adolescentes e jovens, estimulando o resgate e a  preservação
das tradições e manifestações da cultura popular, na perspectiva do
exercício da cidadania ativa e do protagonismo juvenil. A culminância do projeto, tornou-se uma das ações culturais mais belas e enriquecedoras, até então, feita na região: a I Feira Intercultural,
que envolveu escolas Estaduais do Municípios de Central, Cedral,
Cururupu, Guimarães, Mirinzal (sediou o evento) e Porto Rico. Evento, em
que todas as atividades foram protagonizadas pelos jovens do Ensino
Médio, que se destacaram com louvor e maestria.
Em linhas gerais, visualizamos na Feira:
ü Danças
de Ritmos, destacando a cultura afrobrasileira, pois alguns municípios
envolvidos têm uma população de remanescente Quilombola;
ü Danças, dramatizações e rituais religiosos próprios da cultura da região;
ü O
Protagonismo Juvenil apresentado através de dança, música e destacando a
criatividade, criticidade, dinamismo e cultura dos Jovens na
atualidade;
ü Resgate histórico e cultural de personalidades locais, com destaque para Maria Firmina dos Reis.
A Feira foi um sucesso, como destaca a fala do idealizador do projeto, em um grupo de whatsApp:
Bom
dia colegas impactantes! Hoje vendo as fotos do evento, tive a noção da
magnitude do mesmo. Mais uma vez pude confirmar o quanto os nossos
jovens são inteligentes, criativos e dedicados. Quero agradecer  aos
meus queridos colegas João, Kenize e Marizete (orientadores do município que sediou o evento – grifo meu) que
acreditaram na minha ideia “louca” e fizeram dela um evento
espetacular. Agradecer o apoio constante das nossas formadoras, Elcimar e
Oli. (Formadoras da URE de Pinheiro, da qual, os municípios envolvidos na Feira fazem parte – grifo meu) Sempre
presentes e preocupadas. Esta com certeza foi a razão do sucesso:
Dedicação! E que venham outros… Já estou pensando aqui! Kkk.
(Antonio Rodrigues de Almeida Filho, professor e orientador de Estudos no CE Pedro Neiva de Santana – Cedral)
Destaco
com louvor, as parcerias estabelecidas, para que a Feira fosse
realizada e alcançasse o sucesso esperado. Foi um evento de escolas
Estaduais, mas a parceria, com todas as Secretariais de Educação dos
Municípios participantes, foi fundamental, pois, só com essa articulação
foi possível se realizar um evento dessa magnitude, como consta-se na
fala de profa. Oli Moraes – Formadora de Regional de Pinheiro,
As
seis cidades envolvidas no projeto – Porto Rico,  Cururupu, Cedral,
Central, Guimarães e Mirinzal – contaram com o apoio dos seus
secretários municipais de educação – que, em louvável atitude
demonstraram que estão dispostos a trabalhar para mudar a realidade
educacional maranhense, patrocinando o referido evento que era de
escolas da rede Estadual.
(Oli Moraes)
Eis, a fala de um dos nossos grandes parceiros, o Secretário de Educação do Município de Porto Rico, através do WhatsApp:
Quero
parabenizá-la, assim como toda sua equipe de trabalho, pela iniciativa
de vocês! Acredito ter sido o primeiro evento dessa natureza na nossa
URE. Foi muito bom! Eu disse na entrevista que, hoje, não se dá aulas
apenas em salas de aulas, pois o conhecimento está por ser buscado de
várias formas, em vários lugares. E é isso que queremos com e para os
nossos alunos e professores. Mais uma vez, parabéns! Continuemos, na
graça Divina, trabalhando dinamicamente pelo bem de nosso povo.
 (Jorge Aidson – Porto Rico)
Todo
o brilho e dinamismo da Feira ficou a cargo de nossos jovens, que com
maestria foram os maiores protagonistas de todo o evento, e que, com
certeza, construíram grandes e significativos conhecimentos, como
destaca-se no depoimento abaixo:
A
Feira intercultural foi muito produtiva para minha vida estudantil,
principalmente pela oportunidade que eu tive de representar minha
escola, representar a minha cultura, e também porque o pacto criou uma
interação maior entre professores e alunos e, isso é muito bom para o
sistema educação e eu me senti muito honrada de poder representar minha
escola e poder falar de uma cultura tão bonita que é o Pastor.
(Sara, aluna da 3ª série, do CE Benedito Fontes – Mirinzal)
Destaco
aqui também, nesta singela apresentação, do que foi a I Feira
Intercultural em Mirinzal, as palavras da minha grande parceira,
competente e dinâmica, formadora Regional da URE de Pinheiro, a Profa.
Dra. Maria de Oliveira Moraes,
O
PNEM – Programa Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio,
está mexendo com as estruturas das nossas escolas.  A prova disso é este
grande evento do Pacto, que marcou a história das escolas estaduais do
Litoral Ocidental Maranhense.  Os belíssimos trabalhos pedagógicos
apresentados foram frutos dos estudos dos cadernos do Pacto e envolveram
apresentações culturais, que contemplaram claramente os eixos: cultura,
pesquisa, trabalho e tecnologia, conforme, orientam as Diretrizes
Curriculares Nacionais. Talentos incríveis envolvendo todos os segmentos
tiveram destaque no evento. Desde a elaboração do projeto pelo
Orientador de Estudo, o professor Rodrigo; à organização do evento pelos
anfitriões, o secretário Isaias e os Orientadores de Estudo os
professores João Carlos, Kenize e Marizete; os talentos dos
participantes; os demais Orientadores de Estudos das escolas envolvidas –
Valdir, Glauber, Raimundo, Iasmim, Josilene, Juventina e Erico que não
mediram esforços em levar o melhor das suas escolas; as presenças
ilustres da UFMA, SEDUC e URE, enfim tudo realizado com muita
competência!  O Pacto, na pessoa dos seus construtores, está dando
visibilidade alegre e colorida às nossas escolas. Isto é fantástico e
não deve morrer! Então, que venham outros e outros… (Oli Moraes). De
fato, a Feira Intercultural transformou-se em um momento histórico para
todos que se fizeram presentes. Presenciamos um dos mais belos eventos
da educação em nosso Maranhão. Jovem… Cultura… Conhecimento…
Articulação perfeita!!! Lindo… Lindo… Lindo. Nossos alunos
brilharam, emocionaram e com certeza, demonstraram aprendizagem, de
fato, significativa!!  Pois, foi um momento ímpar na vida de nossos
jovens e de todos que fizeram parte do evento. Emocionante! Orgulho…
Felicidade… Deleite… de todos os que presenciaram, articularam,
promoveram e executaram a I Feira Intercultural: Juventude e Cultura: relevando os valores culturais do Litoral Ocidental Maranhense. Elcimar Silva Amorim – Profª Formadora Regional do PACTO, na Unidade Regional de Pinheiro.

Deixe uma resposta