POLICIA E MP DEFLAGRAM OPERAÇÕES PARA CUMPRIR MANDADOS DE PRISÃO EXPEDIDOS PELO TJMA CONTRA PREFEITOS E EX PREFEITOS

 

Na operação foram presos temporariamente o ex prefeito de Zé DocaRaimundo Nonato Sampaio (Natin), o prefeito atual de Marajá do Sena Edivan Oliveira da Costa e do ex prefeito Perachi Roberto Farias de Morais, juntamente com o prefeito de Bacuri Richard Nixon dos Santos e Josival Cavalcanti o Pacovan.

Em cumprimento a decisão do desembargador do Tribunal de Justiça do
Maranhão (TJMA), Raimundo Melo, a Policia Civil – por meio da
Superintendência de Investigações Criminais (SEIC) – e o Grupo de
Combate do Ministério Público do Maranhão (GAECO), representado pela
Procuradora Geral de Justiça, deflagraram, na manhã desta terça-feira
(5), operações para cumprimento de seis mandados de prisão temporária,
14 de condução coercitiva e 51 mandados de busca, apreensão e sequestro
de bens, em cinco municípios do Estado.

As operações denominadas “Marraraja” e “Morta Viva”, – que
tiveram como alvo as prefeituras de Marajá do Sena e Zé Doca,
respectivamente, são desdobramentos da “Operação Detonando”, que
investigou o assassinato de Décio Sá, em 2012, prendendo o empresário
Gláucio Alencar e de seu pai, José Miranda, acusados de mandar matar o
jornalista, e de comandar uma rede de agiotagem com ramificação em
diversas prefeituras do Estado. Gláucio Alencar está preso desde o ano
de 2012, enquanto seu pai encontra-se em prisão domiciliar.

Segundo a SEIC e o Ministério Público, durante a “Operação Detonando”,
foi apreendida farta documentação, em especial um caderno pertencente a
Gláucio Alencar, que continha diversas anotações referentes a valores,
nome, ou apelidos de alguns gestores, números de contas bancárias de
programas federais e do fundo de participação dos municípios (FPM).

O fato culminou com a instauração de inquéritos policiais, visando
apurar os crimes de fraude em licitações, corrupção, lavagem de dinheiro
e desvio de verbas públicas em mais de 42  prefeituras do Estado.
Trata-se do caso, popularmente conhecido como “Inquérito da Agiotagem”.

Desta vez, as prefeituras alvos das operações foram as de Zé Doca,
quando da administração de Raimundo Nonato Sampaio, o Natin; e a de
Marajá do Sena, da atual administração do prefeito Manuel Edivan
Oliveira da Costa e do ex-prefeito Perachi Roberto de Farias Morais.
Todos os citados foram presos temporariamente, juntamente com o Prefeito
do Município de Bacuri Richard Nixon dos Santos e Josival Cavalcanti, o
Pacovan.

Antes de expedir os mandados de prisão, condução coercitiva e busca e
apreensões, o desembargador Raimundo Melo analisou os pedidos da Polícia
e do Ministério Público e entendeu por bem deferi-los, justificando que
da análise da documentação trazida ao pedido cautelar, mostra-se forte
os indícios de que os representados integravam grande organização
criminosa destinada a desviar recursos das prefeituras Municipais de Zé
Doca e de Marajá do Sena, o que preenche o requisito legal para
decretação do edito temporário, busca e apreensão e condução
coercitivas.

Deixe uma resposta