GOVERNO DISCUTE PRIMEIRO PLANO AGRÍCOLA E PECUARIO DO MARANHÃO COM A SOCIEDADE

O Governo do Estado do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado de
Agricultura e Pecuária, reuniu representantes de secretarias e órgãos
estaduais relacionados ao setor produtivo, do Ministério da Agricultura,
Pecuária e Abastecimento (MAPA) de universidades, sindicatos e bancos
para discutir o primeiro Plano Agrícola e Pecuário (PAP) da história do
Maranhão, que será lançado ainda em maio.

Em uma discussão democrática, que deu voz a todos os presentes, foram
apresentados os objetivos e as diretrizes do PAP, alinhados ao Plano
Nacional, do MAPA, que será colocado em prática por meio dos
instrumentos de linhas de créditos, apoio à comercialização, gestão de
risco rural e capacitação. “O crédito para chegar ao produtor rural
precisa ser antecedido por etapas como qualificação e oportunidades de
negócio. O banco vem com a intenção de ajudar nesse processo, como um
elo”, disse Antônio Edson da Costa Ribeiro, superintendente no Banco da
Amazônia.

Após a reunião, as contribuições das instituições foram colhidas e foram
para análise, para serem acrescentadas ao plano, que será lançado ainda
este mês.

Todos os representantes presentes à reunião mostraram-se dispostos a
colaborar e a ver o plano se tornar realidade. “Essa iniciativa é da
maior importância para Maranhão, pois mostra que temos que buscar
trabalhar no sinergismo, para todos as secretarias e órgãos envolvidos
com o setor agropecuário estejam focados no fortalecimento da pesquisa,
produção, armazenamento, comercialização dos produtos do estado. Saio
daqui muito feliz pois vimos vários parceiros reunidos, que estão
entendendo o esforço do governo de aumentar a produção do Maranhão”,
Fortunato Macedo, presidente da Agência Estadual de Pesquisa
Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp).

“O Plano Agrícola não é do governo, é do Maranhão. Por isso precisávamos
ouvir todos esses segmentos e receber suas contribuições. Afinal,
estamos munidos de um mesmo objetivo: aumentar a produção do nosso
estado e, com ela, emprego e renda para população maranhense, gerando
mais qualidade de vida no campo e na cidade”, reforçou o secretário de
agricultura e pecuária, Márcio Honaiser. 

Deixe uma resposta