PRESIDENTE SARNEY – VEREADORES DE OPOSIÇÃO QUEREM SABER ONDE ESTÁ O DINHEIRO REFERENTE A TAXA DE ILUMINAÇÃO PUBLICA

O Vereador JOSÉ ORLANDO SILVA PEREIRA (PPS), vem constantemente
chamando a atenção da Promotoria Publica, em relação à aplicação dos recursos
oriundos da taxa de iluminação publica, aquela mesma taxa que é descontada dos
consumidores e destinada aos cofres das prefeituras.
Segundo o Edil, desde 2009 ele vem chamando a atenção dos
seus pares na Câmara municipal de Presidente Sarney, sobre a
aplicação ou a destinação que está sendo dada aos recursos arrecadados na taxa
de iluminação.

Sem entender, já que a cidade está as escuras, e não se
observa melhorias e muito menos vontade de melhorar a iluminação do município. Com os  bairros todos as escuras, correndo os
moradores daquelas localidades um grande risco, haja vista, que a criminalidade
é muito grande, e sem iluminação nos postes, há riscos de assaltos e até mortes
por parte da bandidagem que também assola aquele município.

A população já está cobrando, segundo o edil, de forma justa
uma solução para o problema, e que o mesmo teria pedido em seu requerimento a
Promotoria Publica, a suspensão da cobrança da taxa de iluminação publica,
junto a concessionária do serviço, a Companhia Energética do Maranhão CEMAR.

Ainda enfatiza o nobre edil, que o mesmo já teria feito em
várias sessões na Câmara alguns pedidos através de requerimento, mas, que até
hoje nunca teria recebido uma resposta por parte da presidência daquela casa.
ORLANDO, ainda no oficio que encaminhou a Promotoria do Consumidor, enviou
também cópias da Lei municipal e das contas de populares que reclamam do alto
preço cobrado e, do serviço não prestado.

ORLANDO, juntamente com todos os outros Vereadores de
oposição já entraram com vários  ofícios junto
a Promotoria do Consumidor em Pinheiro, pedindo a verificação em in locu
dessa
pratica abusiva e exorbitante, praticada pelo Gestor do Município de
Presidente
Sarney, o Sr. EDSON BISPO CHAGAS (PMDB). Além de ter pessoalmente
encaminhado
um oficio de nº 0021/2014, no dia 11 de Novembro daquele referido ano,
ao ptoprio Gestor prefeito, sem que tenha recebido nenhuma resposta.

Deixe uma resposta