E o concurso público em Pinheiro, ficará para o próximo exercicio?

O Prefeito Municipal de Pinheiro (MA), Filadelfo Mendes Neto, encaminha pela segunda vez consecutiva uma proposta de Projeto de Lei nº 001/2015 que autoriza o executivo a contratar servidores, sem a exigência de concurso publico.

A proposta de Projeto de Lei enviado pelo Prefeito a Câmara de Vereadores, diz respeito a contratação de Professores, Secretárias, Agentes de portaria, Agentes de serviços gerais, Vigias, Médicos, enfermeiras(os), Técnica(o) de Enfermagem e Agente de Limpeza sob a alegação da insuficiência no quadro efetivo da prefeitura e, que o mesmo terá um prazo de vigência de doze meses.
A proposta do Prefeito, vai de encontro principalmente com a classe de Professores, que através do SINPROSEMPI, cobra de imediato a realização do concurso publico, uma vez que o Prefeito teria acordado com o referido sindicato a realização do mesmo.
A sessão da câmara que aconteceu hoje (03), foi muito polêmica, o que já era esperado por todos. Porém, segundo as poucas pessoas que se fizeram presentes, o debate teria sido muito enriquecedor e que servirá de base para a votação da proposta de Projeto de Lei, na proxima sessão.

O Blog do Sandro Lima, ouviu alguns participantes que estavam na galeria da “Casa do Povo” e dentre todos um comentário nos chamou à atenção. ” Queremos contar nessa votação, não só com os Vereadores que se dizem “Oposição”, mais também, com todos os edis que se dizem compromissados com o povo, pois, não justifica em hipótese alguma votar contra si próprio, uma vez que se intitulam defensores de nós o povo! Simplesmente para agradar aos caprichos do Gestor.
Estavam presentes à sessão todos os 15 Vereadores, Jaelson (PV), Dr. Leonardo Sá (PDT), Beto de Ribão (PSD), Oziel Menezes (PSD), Selma da Colônia (PSL), Guto (PV), Sinval Sousa (PMDB) , Walter Soares (PV), Nezio Vitorino (PDT), Lucas do Beiradao (PDT), Antonio Ribeiro (PPS), concita de Luis Pajé (DEM), Prof. Stelio (PSDB), Elizeu de Tantan (PSB) e João Moraes (PSB). A população está atenta a essa votação, que será de suma importância para toda a população e, não aceita mais uma vez, ser golpeada pela não realização do concurso.
Porque, se a proposta do projeto de Lei nº 001/2015 passar, mais uma vez, muita gente ficará sem a oportunidade de um emprego fixo e, os oportunistas levarão outra vez a vantagem, causando assim um desequilíbrio muito maior do que já está, nas prestações dos serviços públicos de qualidade.

Deixe uma resposta